HOME SITE

Últimas Novidades:

mar
17
2014

Novas regras de uso do capacete: você segue corretamente a lei?

Usar capacete é atitude obrigatória para os motociclistas do Brasil. Isso porque, além de fazer parte da lei, o equipamento de segurança também leva muito mais bom senso e responsabilidade para as estradas. Vamos conhecer algumas orientações que fazem toda a diferença no uso do capacete?

Não se esqueça da cinta jugular

Novas regras de uso do capacete: você segue corretamente a lei?

Pode até incomodar, mas a cinta jugular precisa estar ajustada para que o capacete proporcione a máxima proteção. Para isso, ela deve permanecer 100% em contato com a parte inferior do maxilar.

• Sem folga

Capacete não pode ficar folgado. Na hora de escolher o seu na loja, compre um que aparenta ser menor do que a sua cabeça, pois com pouco tempo de uso a espuma de forração cederá o necessário para que ele fique justo.

Novas regras de uso do capacete: você segue corretamente a lei?

• Tem que ter viseira

Não importa se o seu capacete é aberto ou fechado. Todos os modelos devem, por lei, ser equipados com viseira ou óculos de proteção, como os utilizados pelos pilotos em competições fora-de-estrada.

• Seu capacete também merece segurança

Não ter onde deixar o capacete não pode ser desculpa para sair sem. Adquira a sua Trava de Capacete Magnetron e fique tranquilo na hora de estacionar.

 Trava de Capacete Magnetron para Honda ou Yamaha

Ficar atento a estes detalhes é fundamental para garantir a segurança do dia a dia e o cumprimento da lei. Confira as novas definições do Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN e faça a sua parte.

I – Se o capacete motociclístico utilizado é certificado pelo INMETRO;

II – Se o capacete motociclístico está devidamente afixado à cabeça;

III – A aposição de dispositivo retrorrefletivo de segurança nas partes laterais e traseira do capacete motociclístico, conforme especificado no item I do Anexo;

IV – A existência do selo de identificação da conformidade do INMETRO, ou etiqueta interna com a logomarca do INMETRO, especificada na norma NBR7471, podendo esta ser afixada no sistema de retenção;

V – O estado geral do capacete, buscando avarias ou danos que identifiquem a sua inadequação para o uso.

(Os requisitos dos itens III e IV aplicam-se aos capacetes fabricados a partir de 1º de agosto de 2007.)

Faça o download da Resolução neste link.

Fonte: G1

jan
24
2014

Pilotagem: dicas valiosas para você não perder o controle em baixa velocidade.

Em um post anterior, falamos sobre a importância do olhar. Essa é, sem dúvida, a dica mais importante de todas. Agora, vamos partir para a segunda dica: como controlar a moto em baixa velocidade.

como-andar-de-moto-em-baixa-velocidade

Por acaso você já se pegou bambaleando entre os carros em baixa velocidade? Ou andando alternando os pés no chão, como se fosse uma criança empurrando uma motoca? Geralmente esses são sintomas de falta de domínio da sua moto em baixa velocidade, e isso atinge mesmo alguns pilotos já experientes, especialmente os de motos grandes.

E porque isso não é bom? Se os seus pés estão no chão, você será obrigado a frear usando apenas o dianteiro, e isso desestabiliza a moto em baixa velocidade. (Temos uma matéria sobre o uso correto dos freios, leia aqui.) Faça essa experiência: use apenas o freio traseiro em baixa velocidade, e veja como é mais fácil manter a trajetória. Depois, refaça o mesmo percurso usando apenas o dianteiro.

Mas o truque que vai fazer sua pilotagem melhorar em baixa velocidade é pressionar levemente o freio traseiro e continuar acelerando. Basta manter a sua embreagem naquela zona que fica pouco antes dela estar completamente acoplada, enquanto você acelera e pressiona levemente o freio traseiro. Assim a moto vai ficar ereta, e você terá mais controle da velocidade usando a embreagem. Afinal, só com o acelerador você não consegue fazer as correções de velocidade para manter a moto andando em velocidades tão baixas.

como-andar-no-corredor-de-moto

Imagem: divulgação

Essa técnica é particularmente útil na hora de andar entre o corredor, especialmente quando você é obrigado a contornar um carro ou obstáculo (situação onde muitos colocariam instintivamente o pé no chão) e também na hora de fazer um retorno em U apertado.

Aproveite para dar uma olhada no vídeo abaixo. Essa demonstração foi feita pelo pessoal do Ride Like a Pro. Confira:

 

Via Old Dog Cycles

jan
17
2014

Farol de xenon: só se for original de fábrica

Pensando em trocar os faróis da sua moto? Vamos iluminar um pouco suas ideias sobre a famosa polêmica que envolve a instalação dos faróis a gás xenônio, o popular “xenon”. Essa mudança quase sempre permite o aproveitamento do globo óptico original (concebido para lâmpadas halógenas), substituindo-se apenas a lâmpada por outra a gás. Mas existem muitos fatores a serem considerados.

Farol de xenon: só se for original de fábrica

Moto com faróis de xenônio | Imagem: divulgação

Entenda como funciona o farol xenon

Diferentemente dos faróis comuns, com lâmpadas que geram luminosidade através da incandescência de um filamento, o farol xenon se utiliza de um bulbo cheio de gases, sendo o principal deles o gás xenônio (daí o nome desse farol). O princípio é parecido com o de uma lâmpada florescente doméstica, sendo necessário um reator. Mas, o globo óptico original da maioria das motos não foi projetado para usar tal lâmpada e o que se vê é a dispersão de fachos de luz para todas as direções, o que além de incomodar seriamente ou outros motoristas, coloca em risco a vida de quem trafega em sentido contrário, devido ao ofuscamento que a adaptação provoca.

Efeito do farol de xenônio  | Imagem: MotosBlog

Efeito do farol de xenônio | Imagem: MotosBlog

A Lei é clara

Segundo a legislação: “Ficam proibidas a instalação de fonte luminosa de descarga de gás em veículos automotores, excetuada a substituição em veículo originalmente dotado deste dispositivo”. E ainda: “Veículos com instalação de fonte luminosa de descarga de gás com CSV emitido até a data da entrada em vigor desta Resolução poderão circular até a data de seu sucateamento, desde que o equipamento esteja em conformidade com a resolução 227/2007 – CONTRAN. ”

Trocando em miúdos: se não for original, não pode!

Resumindo, o que você precisa saber é que, se não for original de fábrica, qualquer alteração na iluminação da sua moto tem que, obrigatoriamente, ser homologada pelo CONTRAN, sem exceção. Até a simples troca da lâmpada halógena por outra também halógena, mais potente, é proibida se não for homologada pelo CONTRAN ou pelos órgãos que o representam. Portanto, se você for pego em uma blitz com xenon instalado fora das normas estabelecidas, será multado e terá sua moto apreendida e recolhida ao pátio do DETRAN, até que a instalação seja revertida à forma original, sem direito a apelação. :(

Pense duas vezes

Antes de resolver, por conta própria, alterar as características técnicas da sua moto, vale a pena uma boa avaliação técnica. Só a ausência dos parâmetros anti-ofuscamento já é suficiente para colocar a vida de terceiros em perigo, o que faz com que essa avaliação seja fundamental. Quer correr o risco mesmo assim? Então, informe-se mais sobre esse assunto conferindo aqui as 250 páginas da Resolução 227/07. A gente ilumina sua escolha, mas a decisão é sempre sua.

 

Via Moto Online  

 

nov
11
2013

6 livros para saber tudo sobre motos e motomecânica.

Livros sobre Motos

Ler sobre motos é uma boa maneira de incrementar a conversa entre motociclistas, entender o espírito do motociclismo ou aperfeiçoar-se na manutenção da moto. As livrarias têm inúmeros títulos sobre o tema, de manuais técnicos a romances filosóficos. Indicamos abaixo alguns volumes que podem agradar.  Os preços são apenas referências e podem variar de livraria para livraria.

Motomecânica:

Manual de Mecânica de Motos

MANUAL DE MECÂNICA DE MOTOS

Autor: Sergio Alejandro Ribaric

Editora: LSR

Ano: 2004

Valor: R$ 50,00

Sinopse: como o próprio nome diz, é um manual de mecânica. Nenhuma pretensão literária, mas dicas de manutenção bem claras. Quase uma sequência de apostilas.



blog_livros_sobre_motos_magnetron_marcos_pauletti_02

 

 

 

 

 

CONHECENDO OS SISTEMAS ELÉTRICOS DAS MOTOCICLETAS

Autor: Marcos R. Pauletti

Editora: Bureau de Fatos

Ano: 2013

Sinopse: a Magnetron traz de modo prático dicas e informações sobre motocicletas com Marcos Pauletti, um dos engenheiros da empresa. Solicite a um representante de vendas e boa leitura.

 

blog_livros_sobre_motos4

MANUAL COMPLETO DA MOTO, MECÂNICA E MANUTENÇÃO

Autor: George Lear

Editora: Hemus

Ano: 2004

Valor: R$ 90,00

Sinopse: didático, explora aspectos históricos e teóricos. Por outro lado, é estrangeiro, não trata de modelos nacionais. Descreve os diferentes tipos de motocicleta existentes. Excelente para aprender a decifrar o funcionamento da moto.

 

Literatura:

blog_livros_sobre_motos3

MOTOS DOS SONHOS: AS 62 MOTOCICLETAS MAIS DESEJADAS DO PLANETA

Editora: Europa

Ano: 2008

Valor: R$ 39,90

Sinopse: os autores elegem e comentam as 62 motocicletas que julgam ser as mais impressionantes e marcantes de todos os tempos. Boas fotos, agrupadas num livro visual. Mais para apreciar do que para ler.

 

blog_livros_sobre_motos5

MOTOCICLETA

Autor: Fausto D’Azevedo Macieira

Editora: Alaúde

Ano: 2009

Valor: R$ 75,00

Sinopse: livro histórico, contando a evolução da tecnologia motociclística, das principais marcas e dos modelos que marcaram época. Macieira é ex-piloto de motocross e apresenta programas de moto na TV a cabo.

 

blog_livros_sobre_motos7

GRÃOS DE AREIA: OITO ANOS DE AVENTURAS NO RALLY PARIS-DAKAR

Autor: Klever Kolberg e André Azevedo

Editora: Record

Ano: 1995

Valor: R$ 37,90

Sinopse: André e Klever, os primeiros pilotos brasileiros a participar do famoso rally e os que mais participações acumularam, narram suas aventuras tanto no campo empresarial, atrás de patrocínios e apoio, como na imensidão solitária de areia do deserto. As histórias são verídicas.

 

FONTE: Revista Quatro Rodas