O autoconhecimento é a chave para o sucesso e Helenice Mendes Chupel é mestre no assunto. A profissional começou a trabalhar na área de marketing da Magnetron em outubro de 2018, mas sua trajetória antes de chegar até aqui envolve uma jornada de desenvolvimento pessoal que, hoje, a torna uma profissional admirada.

Em plena ascensão na carreira, com formação em Publicidade e Propaganda, uma pós em marketing e passagens por grandes empresas, como o Grupo Paulo Pimentel, Cyrela e uma agência de comunicação onde atendia importantes contas, Helenice decidiu parar e tirar um tempo apenas para ela. Antes de completar 30 anos, foi para um Mosteiro em Rio Negrinho (SC) e lá ficou por quase dois anos. “Eu estava em momento de crescimento profissional, mas não quis assumir nenhuma promoção, pois queria ter essa experiência de crescimento pessoal. Foi a melhor decisão que já tomei e a melhor fase da minha vida”, conta.

H_MAG

No mosteiro, Helenice teve a oportunidade de se conectar consigo mesma. Fazia atividades no campo e trabalhava em contato com a natureza. “Eu tinha o objetivo de até os 30 anos tirar um tempo para mim. Não voltei para Curitiba nenhuma vez nesse período. Escrevia cartas uma vez por mês para a família e recebia visitas a cada quatro meses. Aprendi que o autoconhecimento para entender os objetivos profissionais vêm de uma análise muito profunda. E essa vivência foi essencial para alcançar o equilíbrio entre espiritualidade, trabalho e lazer.”

Pode parecer contraditório, mas hoje Helenice consegue exercer muito melhor suas atividades dentro da tecnologia, como marketing digital. “Foi uma experiência incrível também me reencontrar em sociedade novamente. Percebi a verdadeira atualização no sistema interno. Voltar aos mesmos lugares para entender que quem mudou fui eu. Experimentar tudo de novo com um olhar diferente”, diz.

Após voltar, a profissional foi fazer cursos de especialização e cursos rápidos de Google, Facebook e outras plataformas. Com isso, Helenice se sentiu preparada para retornar ao mercado de trabalho. Foi quando encontrou a Magnetron. “Muita coisa aconteceu depois que entrei na Magnetron. As estratégias estão sempre evoluindo e a atenção precisa ser plena. De todos os trabalhos que executo, o desafio é sempre levar qualidade, que é uma das chancelas da empresa e minha também. É um desafio grande, uma rotina bem vivida. Faço tudo com cuidado e entendendo o porquê de cada projeto, assim posso compreender o significado do meu dia a dia. Afinal, transformação digital é entender de pessoas”, relata.

Helenice diz que o momento mais marcante, até agora, dentro da Magnetron foi desenvolver o projeto de Guia da Referência, uma conquista feita com a equipe de várias áreas. “Reformular como comunicar o produto foi um desafio muito grande, pois nosso mix é extenso. Reorganizamos essa estrutura para fazer tudo de uma forma automatizada e eficiente. Temos vários meios de busca que facilitam nosso trabalho e, consequentemente, aumenta nossa qualidade para o consumidor final. O desafio pessoal foi mergulhar nesse universo das motocicletas, um segmento totalmente novo em meu currículo. Inclusive, nunca andei de moto. Mas com o apoio de todos, ajuda e experiência de excelentes profissionais, nós desempenhamos um ótimo trabalho. Uma conquista”, explica.

Daqui para frente, Helenice quer desenvolver cada vez mais competências e habilidades profissionais em conjunto com os colegas e gestores da Magnetron. “Gosto de pensar que tudo o que a empresa me proporciona em cursos para me aprimorar, será aproveitado em conjunto com meus colegas de trabalho, pois trabalhamos com os mesmos objetivos”, acredita.

Fora da Magnetron, Helenice continua buscando autoconhecimento e equilíbrio. “Faço retiros no mosteiro, sozinha. Me encontro. Gosto de saltar de paraquedas, faço natação, adoro ficar com a família e estar em contato com a natureza. Tudo passa tão rápido. Pretendo me atualizar, estudar, fazer mais um MBA, crescer profissionalmente. Quero ser a cada dia uma pessoa melhor para um mundo melhor, fazer o bem e não deixar de acreditar nas pessoas. Sigo planejando meus caminhos, sem esquecer que é Deus quem dirige os meus passos”, diz.