Aumente sua segurança com essas dicas de manutenção preventiva

magnetron
magnetron
24 maio 2013

Prevenir é melhor do que remediar. Mais que um provérbio, essa é uma atitude que deve ser seguida para quem vive em cima de uma moto. A manutenção preventiva é uma obrigação de quem quer cuidar melhor de seu veículo e preservar sua integridade física.

As dicas que iremos dar, não requerem nenhum conhecimento técnico. Apenas capacidade de observação e bom senso.

1. Pneus

Motos dependem de movimento para ter equilíbrio. Além disso, a área de contato com o solo é mínima – para se ter uma ideia, o tamanho desse espaço é equivale a medida de um cartão de crédito. Só de pensar nisso, já é possível ter uma ideia da importância dos pneus.

Uma rotina de observação não alterará o desgaste dos pneus, porém pode detectar anomalias como bolhas, deformações ou um simples, porém perigoso, pneu murcho.

Verificar semanalmente a pressão dos pneus, bem como respeitar os valores recomendados pelo fabricante é fundamental. Pneus inflados incorretamente causam problemas de dirigibilidade: o guidão fica pesado, as respostas às mudanças de direção ficam estranhas, furos e rasgos podem ocorrer mais facilmente. Já se os pneus estiverem cheios demais, ele não assimila os defeitos da pista e transmite as irregularidades do solo para às mãos do motociclista, prejudicando a estabilidade do veículo.

2. Correntes e transmissão

A maioria das motos usa a corrente para levar a força do motor para a roda traseira. Esse elemento mecânico de transmissão também precisa de cuidados: lubrificação semanal ou, no mínimo quinzenal. Se você viver em uma área muito chuvosa ou rodar em estradas que possuem terra, areia ou lama, essa manutenção precisa ser quase diária.

Essa atitude ajuda a alongar a vida útil da corrente e de tudo está ligado à ela, como o pinhão e a coroa.

Corrente seca dura pouco e fica mais sujeita ao rompimento. Se isso acontecer, na melhor das hipóteses, a moto correrá solta, como se estivesse em ponto morto. Porém, em alta velocidade, o risco é muito maior: uma corrente quebrada pode enroscar na roda traseira e travá-la. Existe outro risco também grave: a corrente pode dar uma “chicotada” no motor e quebrar o metal da área circunstante ao pinhão. Tal estrago poderá inundar de óleo o pneu traseiro e, dependendo do dano, até ocasionar a perda total do motor.

3. Freios

Os freios são importantíssimos em qualquer veículo. Preste atenção no estado dos freios da sua moto. Como muitos modelos são equipados com freio a disco, observe se não há riscos ou raias profundas que indicam problemas e o fim de sua vida útil.

As pastilhas são um pouco mais difíceis de serem visualizadas, porém elas demonstram seu mau estado através da falta de eficiência na frenagem e pelo ruído anormal quando acionamos o freio.

4. Ruídos e outros sinais

Barulhos mecânicos são naturais de qualquer motor. Porém é importante prestar a atenção se esses ruídos não aumentam, diminuem ou se modificam. Caso perceba algo estranho, a dica é desligar o motor e esperar ele esfrie por pelo menos 15 minutos. Caso o desaparecimento do ruído ocorra, isso não é uma boa notícia, pois ficou comprovado que algo não vai bem quando sua moto está a uma temperatura mais alta. Caso o barulho permaneça, vá até um mecânico e peça uma avaliação.

Utilize essa teoria para toda sua motocicleta: acelerador, embreagem ou câmbio endureceu, amoleceu ou ficou diferente? Investigue. As vezes pode ser uma bobagem, como uma lubrificação ou ajuste.

5. Óleo

Pode parecer incrível, mas as oficinas mecânicas apontam que um alto índice de problemas nos motores foi ocasionado pelo desleixo em relação a troca de óleo. Pensando nisso, é melhor não arriscar: troque o óleo seguindo à risca a indicação do fabricante no que diz respeito periodicidade e tipo de lubrificante.

6. Combustível

Rodar com pouca gasolina ou deixar a moto apagar por pane seca pode ser prejudicial ao motor. Por melhor que seja o combustível, sempre existem resíduos no tanque que ficam depositadas no fundo do reservatório. Com o tanque baixo, há a possibilidade desse lixo ir parar dentro do sistema de alimentação e, se isso ocorrer, irá gerar falha no funcionamento.

Outra dica em relação à combustível: a gasolina e o etanol estragam quando envelhecem e criam borras e resíduos danosos ao motor. Por isso, tome cuidado.

Seguindo essas dicas, você não apenas irá economizar na manutenção como também aumentará sua segurança. Além disso, não há sentido em gostar de motos e não cuidar bem delas, certo?

Nação 2 Rodas
E-mail
Nome Completo
Data de Nascimento
Telefone
Seu Estado
Sua Cidade
Empresa
Ocupação

ATENÇÃO! Cuidado com o golpe do boleto bancário falso.