Corrente, correia ou eixo-cardã? Veja qual a melhor opção para a sua moto.

magnetron
magnetron
11 set 2014
tipos_de_transmissao

(Foto: InfoMoto)

Existem três tipos diferentes para fazer a ligação entre o motor e a roda traseira da sua moto, mas tudo depende do seu objetivo, do motivo que faz você rodar com ela. Para escolher a melhor opção para a transmissão final da sua moto, juntamos as informações que você precisa saber sobre cada uma. Vamos lá:

Corrente

corrente

Corrente (Foto: InfoMoto)

É a forma de ligação mais encontrada por aí. Isso porque a produção dessa corrente é simples, o que facilita a reposição e o baixo custo de manutenção. Ela é feita de duas engrenagens dentadas de algum tipo de metal e, claro, de uma corrente que faz a ligação.

Já foi comprovado que a transmissão final por corrente é a mais eficiente quando se fala da potência que é levada à roda. A perda é apenas de 5 a 10%.

Correia dentada

correia_dentada

Correia dentada (Foto: InfoMoto)

A maneira da correia dentada trabalhar é bem similar ao da corrente, o que muda é o metal da coroa, além do pinhão e corrente serem substituidos por um material mais flexível. E é aí que está a grande diferença no desempenho: mesmo sendo feitas de uma borracha de alta resistência, o calor gerado pela motocicleta danifica o material e ele acaba perdendo a eficiência. Por isso, se você tem uma moto que atinge alta velocidade, pode ser que não valha a pena.

Sua maior vantagem é que ela raramente precisa de manutenção. Mas, por outro lado, a motocicleta perde de 10 a 15% de potência.

Eixo-cardã

eixo_carda

Eixo-cardã (Foto: InfoMoto)

Esse é um sistema um pouco mais complicado que os anteriores, mas é praticamente livre de manutenção. Geralmente, encontramos em motos da categoria Big Trail e Touring, que são projetadas para viagens longas.

Um eixo sai da caixa de câmbio, que recebe a potência do motor e leva até a roda traseira, onde passa essa força para um par de engrenagens, que resulta no movimento das rodas. Como todo esse trabalho exige muito do motor, a perda de potência varia entre 15 a 20%. Bastante, né?

E se o pneu furar, o que faz? Aí, meu amigo, você vai ter um pouco mais de trabalho, já que retirar a roda é um pouco complicado. É preciso levar em um mecânico de confiança. Caso contrário, podem estragar todo o sistema de funcionamento.

Ajudou?

Agora você pode escolher a opção que mais combina com a sua moto.

Via InfoMoto. 

 

Nação 2 Rodas
E-mail
Nome Completo
Data de Nascimento
Telefone
Seu Estado
Sua Cidade
Empresa
Ocupação

ATENÇÃO! Cuidado com o golpe do boleto bancário falso.